sexta-feira, 26 de maio de 2017

Sweet Child o' me.

 
         Parafraseei o nome da canção de rock anos 90 dos Guns n' Roses (que eu acho ótima aliás) exatamente por estar recordando alguns momentos, de quando eu era mais nova, "criança" mentalmente e até mesmo eventos de quando eu era literalmente criança.A vida é estranha, ninguém te avisa quando você vai virar um adulto, simplesmente o tempo passa, você cresce e toma suas decisões, e em um dado momento se dá conta de que agora é com você... E então você acorda, se sentindo incomodado por ainda não ter finalizado o curso de graduação, por morar com seus pais e não ter tido nenhum relacionamento sério de verdade em plenos 22 anos (sem contar os tormentos das fracassadas investidas amorosas, que a gente vai contabilizando ao longo da vida).Mas o interessante disso tudo mesmo, é que mesmo tendo consciência da vida de adulto que você está levando, e que tende a ficar cada vez mais séria e exigente, é que você ainda mantém dentro de si as características da criança que você foi um dia;ela ainda está viva dentro de você, ela ainda existe só que está com mil e uma coisas para resolver, precisa arrumar um emprego e um namorado decente que possa ser apresentado aos pais como um pretendente.
        É interessante perceber em nós mesmos as mudanças trazidas pelo tempo, e ainda assim acalentar dengosamente tudo aquilo que foi preservado dentro de você, como ainda ter o mesmo prazer em abrir um saco dos seus doces favoritos, se irritar e gargalhar pelos mesmos motivos, saber a letra de todas a suas músicas favoritas, ainda chorar e se emocionar com as mesmas coisas, ainda amar os mesmos filmes do seu top 10,ainda se divertir com os mesmos livros favoritos, ainda admirar as mesmas pessoas e atitudes,ainda lembrar dos momentos que já se foram há anos atrás mas que vivem intensamente e vibram na sua memória - você os revive com a mesma riqueza e intensidade a cada evocação.
      Eu ainda sou a mesma de sempre, e sempre serei ... aos 33, 44,55,66,77 anos e por aí vai, no fundo no fundo ainda serei a garotinha temperamental, tagarela, que adoraaaa doces e cor de rosa, carregando uma canastra e uma bolsa cheia de livros pra lá e para cá, com a cabeça cheia de sonhos, e o coração cheio de fé; depois de todas as mudanças e transformações, em essência, essa ainda sou eu: Um criançona.

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Bem estar bem

   Antes de mais nada, não se trata apenas de propaganda gratuita da Natura, mesmo sabendo da qualidade altíssima dos produtos hahaha
    Ultimamente,muita gente tem me perguntado se eu estou bem.Serio.
     Cansada eu estou sim, um pouco entediada e sem muita energia para desperdiçar também,com a mente ocupada organizando e realizando tarefas,sem contar as longas viagens de trem e o desconforto em geral. Eu estou cansada,mas não estou triste ou doente ou nada que seja digno de tantas perguntas.Acho que o meu desespero interior está se tornando cada vez mais óbvio,ou então eu deveria passar mais maquiagem para não parecer tão cansada.
      Ah, outra coisa que me cansa são as pessoas, suas maneiras de acordarem o que estou adormecendo até a morte, sua mania de ver coisa onde não tem e dar opiniões não solicitadas, e mais ainda, o que me cansa de fato é perceber que de tempos em tempos a história se repete porém com diferentes protagonistas.As pessoas me cansam ... Elas cansam a si mesmas também.
   Só quero esclarecer que sim, eu estou bem!
     Eu simplesmente só estou processando tudo o que preciso para amadurecer de fato, e nem sempre isso é fácil ou prazeroso,as aí é que está: todo esse incomodo vai ser a força motriz para o crescimento.
      Eu estou bem com isso, e aprendendo a agir usando a cabeça com os pés no chão. Todos os esforços vão valer a pena. Eu sei com toda certeza! Posso estar mais calada, porque assim me conecto melhor com meu interior, me concentro e controlo melhor também; as vezes falar  só atrapalha, e as pessoas não compreendem a totalidade do que estamos realmente falando. Eu guardo meus segredinhos comigo, mas asseguro de que estou bem.
    

sábado, 22 de abril de 2017

Bem,
São 05:43 da manhã.
Eu estaria terminando as lições de inglês se tivesse achado o computador/laptop.
     Tenho 22 anos e 17 dias, ainda saudosa do celular roubado num assalto a mão armada em transporte público há 15 dias, muito revoltada com a desorganização generalizada que é o Rio de Janeiro (minha amada cidade natal ensolarada) e com listas de filmes, séries e livros para finalizar.
     Divido o quarto com minha irmã 8 anos mais nova, por isso as vezes parte da minha privacidade é tolida ou simplesmente roubada quando a bonita resolve mexer nas minhas coisas; sem namorado nem pretendente, precisando comprar mais camisetas, 'Netflix dependig'.
     A verdade é que nunca tinha ficado tão claro pra mim como crescer é difícil, eu digo, amadurecer e se perceber como adulto é ter que resolver seus próprios problemas e sem mais ter o direito a choramingos.
     Às vezes me pego pensando : " Eu já sou uma adulta de verdade? "  ou então " Eu já comecei a viver ou estou simplesmente ensaiando, como um rascunho a ser passado a limpo?".
     O fato é que o amadurecimento da cabeça e muito parecido com o brotamento de uma flor : Há um enraizamento invisível aos olhos antes do primeiro brotinho abrir.
Quero saber se sou raiz ou sou broto.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Twenties

             Nativos de países que falam inglês como língua materna oficial e/ou associada tem uma expressão para se referir a fase da vida entre os vinte e os trinta anos, onde você não é nem tão novo para agir de forma completamente estúpida, exagerada e inconsequente mas também não é experiente o suficiente para não cometer erros triviais e não rir de si mesmo quando se der conta disso; essa expressão é 'Twenties', os nossos " vinte e poucos" do 'português brasa'.
           Estou no meu primeiro ano dos 'twenties', pois tenho ainda vinte e um e já posso ver certo amadurecimento dentro de uma infantilidade amigável que flerta comigo o tempo todo.Meu desespero frente á tudo o que dá errado na vida já não é mais tãp devastador - eu me desespero,choro,quebro, me espalho depois eu mesma me junto e levanto para um novo dia- ; eu me percebo em meio as minhas tarefas e obrigações e consigo desfrutar de um certo prazer ao vencer os desafios mais simples que antes se acumulavam - como fazer as lições do inglês uma por uma com atenção e paciência afim de realmente absrover mais do idioma, não me sentir a pior das dançarinas por não conseguir acompanhar os movimentos avançados da turma mas fazer uma sequencia difícil que  a professora passou até o final e notar que sim, estou melhorando e até mesmo limpar a casa, por as coisas em ordem, cozinhar uma refeição completa e imaginar a minha cozinha na minha casa com meu marido sentado à mesa com a minh louça para comermos juntos o frango que EU SOZINHA limpei, temperei e assei- , também estou tendo mais clareza para pensar antes de tomar decisões e até mesmo para ouvir a voz de Deus e deixá-Lo me orientar nessas tomadas. . . Eu não sou mais uma garota, apesar de ainda não ser uma mulher madura. Eu estou me tornando uma mulher.
          As ideias e planos concretos e a longo prazo para o futuro se tornam mais realistas e palpáveis,as frustações viram adubo e não erva daninha e as raízes são regadas com lágrimas de oração, de dor, de tristeza, de arrependimento, de alegria, de gratidão, de ansiedade, de medo, de insegurança mas nunca, nunca de revolta.Em meio às fortes chuvas eu vejo um arco-íris a se formar.Há esperança, sempre houve e sempre haverá e eu afirmo isso não como uma adolescente sonhadora nas nuvens de algodão, mas como uma quase adulta com a cabeça no lugar e os pés no chão.
        Meus ideais e valores nunca foram tão concretos, por isso neles eu me agarro e deles tiro inspiração.Meus pais nunca foram tão próximos e humanos, e Deus nunca foi tão Pai e Protetor quanto agora.
        Ainda há muitas águas a correrem embaixo da ponte, ainda há um longo caminho pela frente, ainda há muito o que se viver e experimentar mas eu tenho certeza que os meus "vinte e poucos" serão incríveis pois cada umas das intempéries e dificuldades só fortalecem minhas asas, e os ventos , quer sejam contrários quer sejam a favor, só me levam mais alto.
          Sou Carenn Rodrigues, tenho vinte um anos e ainda às vezes não tenho mais tanta certeza do que fazer ou esperar a vida, mas certeza eu tenho de que vou descobrir e serei feliz!

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Agonia,anotações e café forte

    Eu não sabia que título dar pra esse artigo, assim como também não sei como ordenar meus pensamentos/sentimentos para expressar de forma clara tudo o que se passa dentro e fora de mim, então literalmente resolvi falar sobre o que tenho feito, seja para driblar a estagnação, seja para agregar valor a cada minuto de imersão pessoal.
      Por causa de uma maldição conjurada chamada PEC241, o reino encantado da Universidade Federal super bem conceituada para qual eu me transferi está congelado por tempo indeterminado até que finalmente o Governo Federal descongele os investimentos em Educação e Saúde Públicos, assim sendo meus dias mágicos de quase graduanda se transformaram em um marasmo de ansiedade, preocupção e pesadelos a cada noite mal dormida ou com barriga muito cheia, pesadelos com a devastação completa do reino encantado que me promove um dos maiores prazeres da vida: Conhecimento e Desenvolvimento Pessoal.
      Parece que o tempo também foi congelado,ele passa para todo mundo a minha volta mas não sinto que passa para mim. Não mudei nada, não cresci nada, ainda carrego algumas das mesmas dores e necessidades . . . O tempo poderia descongelar também, ele está me gelando por dentro.
        As anotações são frutos de tentativas de aplacar a agonia persistente, para eternizar pensamentos profundos ou ainda para externar pensamentos afetuosos; escrever sempre foi libertador para mim, então motivada por sensações boas ou ruins, eu escrevo, anoto, desabafo, rimo, faço poema . . .  A caneta desliza sobre o papel, e eu vou me tratando, sendo paciente de mim mesma nessa terapia escrita.
       O café forte é um gosto adquirido, e uma forma de demonstrar compenetração. Toda vez que tenho que pensar muito, tomo uma caneca de café, e penso.
        Tô aqui na minha sala , sentada com as pernas dobradas do mesmo jeito de sempre, com os cabelos presos e as calças de moletom;esperando receber alguma notícia divisora de águas, do mesmo jeitinho de sempre, um pouco agoniada, escrevendo depois de duas canecas de café.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Mr. Green - written in Sep, 19th

We started just talking, telling jokes and hanging out over Skype, and the time was passing by for us without being noticed; and then, almost three years after we still have our nice conversations without feel the time passing by .
Mr. Green caught my attention in the first 5 minutes of talking in an international web chat site, we was not seeing each other or listening to each other so I felt totally comfortable to talk about everything and ask any question because I was not taking the risk of being judged for this pretty nice guy from UK (Did I mention how much I like England?). In some moment, the confessions, secrets and intimate debates and questions started to come out from us, and even overcoming our differences, I was trusting Mr. Green more and more and more. Books, movies, culture, tourism, adventures, faith and God’s existence, university, international financial crisis, career’s plans, future, relationship, sex, soccer, rugby … We talk about anything, we feel secure. We could be totally sincere; we can be sincere to each other ever.
Someday I realized I was crushed on his incredible big round eyes and the way he make me feel free being myself and opening up, I told him because it won’t be a warning to our friendship, so I told him using the words and being clear (I couldn’t fighting or hiding anymore) and He told me He feels the same <3 o:p="">
But , like me , He knows ,maybe we will never be together (because of our particular reasons that I don’t have to explain, I know it, He knows it and We solved our little issues by ourselves; This man is really good at talking.).
Before I see all this feelings growing inside me, I felt a rude affection for this little boy already. We were friends, and good ones. The truth is I have been loving you as a dearest male friend, and know I am putting a little more feelings in the part of my heart you made yourself a home in the day we said the first “Hi!”.
Some Physics specialist believe there’re parallel universes at the space-time warps, I’m not so sure, but, considering this possibility, maybe in one of this alternative worlds there’re another versions of us , and then We can be together as you want , as do I. But back to our reality, I’m happy to have you in my life and keep making you a part of it; I’m happy to finally let you know how I feel and have told you how your eyes affect me; I’m happy to be close to you and open the door to let you get in.
In the beginning of everything, In Genesis, God created all forms of life, those we know and those we do not know yet to our survival and belonging feeling; all world and universe was harmonicly created to us, but us, people, human being,were created by  the Father in Heaven to be His friends. A few time after this, Eve was created to be with Adam, as his wife, helper and lover. What I meant telling all this things is the first relationship created was friendship; and all others kinds of relationships and bounding comes from inside a friendship.
When I say “I love you” to Mr.Grenn I’m not playing the innocent to mess his feelings or trying to get “the best of the both worlds”, I’m just being true . . . Of course would be nice become his girl and do all nice things couples do, and be around him and have him around me and let him take the best of me for as longer as we could but, if we never have a kiss, or share our beds and bodies, or never build a life together , I still will keep loving him in a better, higher and immortal way because He’s my friend.
Hey Mr. Green, I love you, and my love for you will never die, because it comes from God since the beginning, it is on me to give you. This love calls Friendship, and do not feel smaller because I’m telling this my Duckie ducky, you’ll never know how much you mean to me; you always meant. I will always love you, my friend!  And please, NEVER EVER EVER go.




Simple and ordinary - written in Sep,14th

I spent  a long time of my life watching movies, Reading books and wondering many things about romance and love.

To be completely honest, female magazines , teen’s TV shows and series didn’t help me AT ALL to grab a boyfriend or to get close to  a real relationship. To be honest, the concept of romance ilustraded in many movies, books, magazines and “reality shows” make me laugh in the worst way ever because or it’s completely unreal or completely empyt.

I’m not a teenage anymore, so magazines and twitter’s  trend topics hasn’t influence on my decision-making power so, after several heart-breaks, I started to think about it in my own way.
FIRST OF ALL: WHAT’S THE POINT ABOUT RELATIONSHIPS?
Women are not attracted only for fancy cars, mansions, money and hot life styles as in video clips, and also, they aren’t so dramatic, overreacting, depending and needy like in another one’s videos ,books or even fairytales. Fairytales are the most glamorous bullshit I’ve ever heard.

To understand the point about relationships, first I had to understand the kind of woman I’m , and then figure it out the kind of man I want/need to finally open up myself to potential dates/valentines.
I’m not here to judge in any way, but under my point of view, relationships must me comfortable and funny, even when its facing hard times, because the comfort and fun you get from your valentine will make you come back even if it’s so much easier run away and don’t look back.

I want someone to share all part of me, someone to embrace during the night , someone to argue sometimes but also the best intimate conversations ever, someone to tell my secrets and do weird thing I don’t do with no one else but I know this person will understand and let me be like this, someone to be connected, bounded, a person I will miss every day.

Relationships must be simple, like toast with jelly and a cup of tea, simple but always good. I need to find my cup of tea in a man. Admire the beauty of the ordinary is what make difference for me ; of course spend a night in a hotel in Paris is lovable, but nothing compares to lay down at the living room’s floor with the windows opened and see the stars or the sun raise with someone you love, just starting a brand new day … with this person.

I want this in a relationship, for me, this is what make a couple last for 50 years or more together, this is what keep people united by feelings, this is what make extraordinary the ordinary life of many people who decided be together in a romantic way : Admiring and  enjoying their simple and comfort relation of love.